• Davi Junior

Brasil Game Show 2019 atraiu mais de 325 mil visitantes!

Atualizado: 2 de Nov de 2019


Área de Pimballs e Arcades conquistaram os fãs retrô

Estandes cenográficos, grandes empresas, centenas de games e milhares de jogadores se reuniram no Expo Center Norte entre os dias 10 e 13 de outubro de 2019 na cidade de São Paulo no maior eventos de jogos eletrônicos da América Latina: a Brasil Game Show - BGS!


O que começou no início dos anos 2000 como um evento para reunir amigos para jogar e comer churrasco hoje também já é o terceiro maior evento do mundo do segmento (atrás apenas da Electronic Entertainment Expo - E3 e da Tokyo Game Show) e, segundo o criador do evento Marcelo Tavares, o sucesso de deve à estratégia da BGS de manter o evento formatado para que o público possa fazer o que mais gosta: jogar. Isso fica claro até com o novo logo apresentado em 2019: Here We Play.


Andando pelo evento, era possível degustar diversos jogos para consoles, PC's e celulares, além de experimentar momentos imersivos nos cenários de Fortnite, da vila do Chaves ou do Baú da Felicidade. Os estandes de compra e venda era minoria, mas estavam lá, com destaque para a Magazine Luiza e as desenvolvedoras de hardware.


Mais de 325 mil visitantes!

Neste ano, o evento recebeu mais de 300 expositores e um total de 52 patrocinadores, destacando todas as três gigantes dos games (Sony, Microsoft e Nintendo), a Epic Games e as gigantes das mídias sociais: Facebook e Google, com seus estandes da FB Gaming e YouTube.


Buscando sempre agradar a todo tipo de jogador, o evento ainda contou uma Arena Arcade com centenas de pimballs e arcades clássicos com jogatina livre focando no público retrô e o estande da Chrunchyroll Games focando no público apaixonado pelo anime.


Entre os convidados internacionais, estiveram presentes os atores de GTA 5 Steven Ogg, Shawn e Ned Luke; o diretor de Sekiro, Dark Souls e Bloodborne, Hidetaka Miyazaki, o game designer de Doom e Quake John Romero; o criador de Mortal Kombat, Ed Boon; o criador de Street Fighter Yoshinori Ono; o dublador Mario, Charles Martinet e o compositor das trilhas de Final Fantasy e Kingdom Hearts, Shota Nakama, que presenteou o público com a incrível apresentação da Video Game Orchestra, concerto que “rockestral”, em que as canções são realizados com orquestra, coro e banda de rock.


Shota Nakama em entrevista no estande do YouTube Gaming

Neste ano, os cosplayers ganharam ainda mais destaque. Além da organização ter presenteado 1800 cosplayers com ingressos vips do evento (após o cadastro e uma rigorosa seletiva), a Marvel ainda patrocinou o concurso cosplay, atingindo recorde de participantes.


Entre os e-sports, se destacou o campeonato de Crossfire, que reuniu times internacionais em uma importante fase do torneio mundial do game.


Ainda sobre a Nintendo, o teste da empresa em 2018 apoiando o concurso cosplay foi decisivo para a empresa voltar de vez para a BGS nesse ano. Vendo a grandiosidade da feira, foi possível negociar as condições adequadas para a sua participação, além das campanhas dos fãs e ajuda da mídia terem contribuindo positivamente para a vinda da empresa. Além de um estande com mais de 1000 metros, a empresa apresentou para os fãs brasileiros o game Luigi's Mansion 3, promoveu a jogatina de seus principais jogos e ainda deu as boas-vindas à oitava geração de Pokémon com uma sessão de fotos em fotos com os treinadores tupiniquins.


Luigi's Mansion 3 estava disponível para testes no evento

Para o público brasileiro, é importante ainda salientar que a presença da Sony no evento: fora da E3, esperava-se que o Playstation deixasse de participar também da BGS, mas a empresa esteve presente e ainda trouxe o game Death Stranding, jogo enigmático de Hideo Kojima que será lançado em 8 de novembro, para os fãs experimentarem pela primeira vez.


A BGS somou mais de 325 mil visitantes em sua edição de 2019. Com um investimento 30% maior que 2018, o público pode conhecer como é a experiência de uma grande feira de games e experimentar muita coisa nova.


Mas visto que o Brasil tem mais de 70 milhões de jogadores, Marcelo Tavares acredita que o evento ainda tem muito a crescer. A meta para 2020 é aumentar mais a presença dos e-sports, fomentar ainda mais a produção de jogos indie brasileiros (cujo esse ano contou com a incrível Avenida Indie) e mostrar para as grandes empresas o quanto o Brasil é relevante para o mundo dos games, esperando atrair cada vez mais anúncios globais, a medida que o evento amadureça a cada ano.



21 visualizações